Todo mundo tem ou já teve uma ideia de negócio. O que torna os criadores de startups diferentes são as ações tomadas para tornar as ideias em realidade. Uma ideia não se materializa num passe de mágica. É necessário planejamento e trabalho duro.

Muitos pensam em largar o emprego e abrir seu próprio negócio, mas o fato é que poucos o fazem. Os motivos são variados, porém, se isso é realmente o que você deseja, deveria refletir, elaborar um plano e partir para a ação. Uma vez que seu foco esteja definido, você precisa se mexer — e rápido.

O passo inicial, por mais óbvio que soe, é começar. Começar pra valer. Sabe aquele papo de que daqui um ano você vai ser arrepender de não ter começado hoje? Isso é totalmente verdade. Não engavete seus sonhos, não mate boas ideias. Não queira chegar lá na frente e se arrepender do caminho traçado. O empreendedorismo é uma tarefa por vezes solitária e é normal desanimar ao longo da jornada, mas não se esqueça que o sucesso dependerá as suas ações.

Facebook, Netflix, Uber e todas essas empresas inovadoras começaram com uma ideia — ok, talvez no caso do Facebook você diga que a ideia não foi exatamente do Mark Zuckerberg. O ponto é que, independentemente de qual cabeça teve o insight, alguém pôs a mão na massa e colocou a ideia em prática. Confio fortemente que os seis passos abaixo podem te ajudar a partir para a ação.

1 – Faça sua pesquisa de mercado

Realizar uma pesquisa de mercado é o primeiro passo para determinar se sua ideia é viável. Comece escrevendo qual problema seu negócio resolveria. Anote-o e tenha isso como seu norte.

Descubra se muitas pessoas estão tendo esse problema e converse com elas. Considere elaborar um questionário para estes potenciais clientes e veja o que eles têm a dizer. Com os resultados em mãos, pesquise a concorrência e descubra como seu serviço ou produto pode se diferenciar no mercado.

2 – Crie sua marca

O chamado branding é mais do que apenas escolher um nome, trata-se de decidir a identidade da sua ideia. As pessoas se preocupam em escolher um nome que amam — e alguns optam pelas suas iniciais e as de seu(ua) cônjuge… —, mas a preocupação deve ser em transmitir a experiência de usar o produto para resolver o problema que ele resolve.

Esteja ciente de que sucessos e fracassos podem estar associados ao nome escolhido. Uma vez definido, faça o registro não só da marca em si, mas também dos domínios .com .com.br e crie usernames nas redes sociais.

Crie e internalize seu elevator pitch — veja este exemplo do pitch do Projeto CR.U.SH — para que você saiba exatamente o que dizer quando perguntado sobre o que sua empresa faz.

3 – Escolha um cofundador

Não adianta ter a melhor ideia do mundo se você não tem todo o conhecimento para colocá-la em prática. Não seja ganancioso ao ponto de não querer sócios. Analise as áreas em que você tem menos conhecimento e procure parceiros em potencial.

Procure por alguém com um conjunto de habilidades que complemente as suas. Estilo e personalidade também devem ser considerados, já que você estará com essa pessoa no dia a dia — tipo num relacionamento, saca?

4 – Faça um plano de negócios

A melhor maneira de partir para a ação é escrevendo um plano de negócios. Usando a pesquisa de mercado que você fez, crie seu plano de ação e decida que objetivos você quer alcançar. Determine suas metas e quais passos você deve tomar para chegar lá.

5 – Escolha um local de trabalho

Muitos fundadores optam por trabalhar em casa para poupar dinheiro, outros alugam um espaço comercial e ainda há o compartilhamento de escritório através do coworking. Hoje, muitos negócios dependem apenas de um computador e acesso à internet, então não tenha medo de experimentar até achar o local ideal para que você seja mais produtivo.

6 – Se inscreva em editais de fomento

Para muitas empresas em estágio inicial, chegar num próximo nível requer um grande investimento financeiro. Você pode buscar um investidor anjo, pedir dinheiro emprestado para um familiar ou para o banco, mas saiba que existem dezenas de editais de fomento ao empreendedorismo oferecidos pelo governo — tanto em nível federal como estadual. No Projeto CR.U.SHstartup focada em mobiliário digitaldesign open source da qual sou sócio, optamos por participar no início de 2016 do Sinapse da Inovação e fomos escolhidos como uma das 100 startups mais inovadoras do estado de Santa Catarina. O prêmio? Um investimento de R$60 mil. Se nós conseguimos, você também pode conseguir.

É hora de agir

Essa lista não é exaustiva e o conjunto completo das etapas dependerá de sua situação individual. No entanto, estas medidas devem lhe ajudar a tirar aquele projeto da gaveta.

***

PS: Muitos de vocês me adicionaram em meu perfil pessoal no Facebook. Adicionei algumas pessoas, mas as solicitações continuaram aumentando e tomei a decisão de criar uma fanpage. Isso facilita para os dois lados. Vocês não precisam ver minhas postagens pessoais e eu posso ter um controle de público. Por isso, peço que curtam minha páginaBasta clicar aqui para acessá-la.

***

Faça parte do meu grupo fechado de dicas por e-mail clicando aqui. É grátis!

28 anos, catarinense, escritor, empreendedor e freelancer em marketing digital. Eleito pelo LinkedIn como o terceiro brasileiro mais influente da rede em 2016. Escreve também no HuffPost e no Transformação Digital.