Muitos aspirantes à empreendedores imaginam que ter um espaço físico será fundamental para o sucesso da sua empresa. Em alguns casos, obviamente, isso é realmente fundamental. Se você quer abrir um restaurante, não poderá esperar que seu negócio decole caso não tenha um espaço onde seus clientes possam sentar e comer. No entanto, o fato é que para a grande maioria das novas empresas baseadas na internet, um espaço físico é um custo desnecessário.

Esqueça aluguel, material de escritório, móveis, contas de luz e de água. Empreendedores com visão de futuro estão decidindo por uma abordagem moderna e deixando de lado o espaço físico.

Com isso em mente, confira três alternativas para fugir dos custos e da rotina de um escritório tradicional. Quem sabe alguma dessas opções faça sentido para o seu negócio.

1 – Construa uma equipe remota

home office virou uma tendência. Principalmente para os mais jovens. Essa galera se cansou do trânsito, da rotina e da falta de flexibilidade do mundo corporativo. Portanto, ao invés de gastar dinheiro com um espaço físico, procure por esses caras e construa uma equipe remota. Além de reduzir despesas, você contará com um leque maior de talentos à sua disposição, já que as limitações geográficas não serão um problema. Sua equipe poderá ter membros de todo o país e, quem sabe, do mundo. Se isso não é atraente o bastante para você, saiba que estudos de uma tal de Harvard apontam que trabalhadores remotos são mais felizes e produtivos.

2 – Use um serviço de escritório virtual

Já falei por aqui sobre as maravilhas de aplicativos e ferramentas — gratuitas ou não — que ajudam e muito a vida dos novos empreendedores. O Slack, por exemplo, é uma ferramenta de colaboração em equipe que lhe permite uma comunicação centralizada. Dispõe de salas de chat organizadas por tema e se integra com serviços de terceiros. Caso precise conversar com um cliente, use o Skype ou mesmo o SnapChat. Essas alternativas, inclusive, eliminam outros gastos como linhas telefônicas.

3 – Use o espaço físico dos outros

Trabalhar em casa e sem contato com outras pessoas, às vezes, pode se tornar uma tarefa solitária e até mesmo deprimente. Nem só de vantagens vive o home office. Quando se sentir assim, coloque seu notebook na mochila e procure uma cafeteria ou outro estabelecimento com Wi-Fi. Afinal, para os empreendedores digitais, basicamente o que eles precisam pra tocar o negócio é um computador com acesso à internet. Além disso, você pode marcar um café com seus clientes ou parceiros. Essa é uma tendência bastante forte neste meio. Quando alguém quer me encontrar para conversar sobre algum projeto, geralmente sou convidado para um café. Ninguém pergunta onde é ou mesmo se tenho um escritório. Uma outra alternativa são espaços de coworking. Você pode alugar uma mesa pelo tempo que precisar e ainda ter a oportunidade de fazer networking com outros empresários independentes.


PS: O Projeto CR.U.SH, startup sem espaço físico e baseada na internet da qual faço parte, lançou ontem (30/06), em parceria com a ONG Movimenta Cão, dois novos produtos: a Toca PET e a Cama Cabana. O lançamento foi feito em forma de financiamento coletivo e todo o lucro da vendas das casinhas será destinado para a compra de vacinas para os animaizinhos cuidados pela ONG. Se você quiser contribuir de alguma forma com a nossa causa e saber mais sobre a campanha, basta acessar o seguinte endereço: https://www.catarse.me/casinhas_pet

28 anos, catarinense, escritor, empreendedor, growth hacker, guitarrista frustrado, marido da Laís. Eleito pelo LinkedIn como o terceiro brasileiro mais influente da rede em 2016.