Ter um hobby traz felicidade e enriquece nossas vidas. Isso nos dá algo divertido para fazermos em nosso tempo livre, além da oportunidade de melhorarmos nossas habilidades. E, hoje, temos uma variedade incrível de coisas que podemos fazer e aprender. Existem diversos sites, blogs e vlogs dedicados inteiramente a algum interesse ou hobby específico.

A melhor maneira de cultivar um hobby é tentar algo novo. Claro, todos somos únicos e nossos interesses podem variar, mas, uma vez que encontramos algo que realmente gostamos, tornamo-nos viciados.

Existem muitas razões pelas quais todos nós devemos ter pelo menos um passatempo, mas aqui vão as principais vantagens:

Isso o torna mais interessante

Se você tem um passatempo, logo, terá mais experiências e histórias para compartilhar com os outros. Você terá um conhecimento especializado que pode, inclusive, ajudar outras pessoas.

Ajuda a aliviar o estresse

Seu hobby pode te ajudar a esvaziar a mente e clarear suas ideias lhe tirando do estresse do dia a dia. Passatempos permitem que você relaxe e busque o prazer em atividades que não estão associadas com o trabalho ou outras responsabilidades.

Hobbies lhe tornam mais paciente

A fim de desenvolver um novo hobby, você terá que aprender a fazer algo novo. Haverá uma curva de aprendizado e você precisará ser paciente para que suas habilidades sejam desenvolvidas.

Ter um hobby pode ajudar a sua vida social

Um hobby é algo que você pode desfrutar na companhia de outras pessoas. Esportes coletivos, por exemplo, são uma ótima maneira de conhecer e se aproximar de pessoas que têm os mesmos interesses que você.

Aumenta sua confiança

As probabilidades são de que, se você realmente gostar de uma atividade e praticá-la com frequência, será muito bom nisso. Qualquer atividade em que você possa se destacar será uma oportunidade para desenvolver sua autoestima e aumentar a confiança em si mesmo.

Ajuda a prevenir a procrastinação

Há um velho ditado popular que diz que “cabeça vazia é oficina do diabo“. Se você tem bons passatempos, então estará menos propenso a gastar seu tempo livre com atividades desnecessárias ou mesmo negativas.

***

Ao longo da vida tive vários hobbies e meus interesses foram mudando com o tempo. Sempre gostei de esportes e pratiquei alguns como futebol, skate surf. A leitura sempre esteve presente em minha vida e, mais recentemente, a escrita.

Cada livro que li me ensinou algo sobre o mundo em geral e forneceu-me uma nova perspectiva de vida. Os livros são uma maneira maravilhosa de nos transportarmos para um lugar ou outra época sem realmente sairmos de casa.

A escrita, inclusive, foi fundamental para a minha autoconfiança. Ela me mostrou que sou capaz de criar algo novo, mesmo sem entender todas as regras da língua portuguesa, e sair da minha zona de conforto. É provavelmente por causa dela que, amanhã, darei início a um novo passatempo. Sempre sonhei em ser guitarrista de uma banda — um daqueles sonhos que você tem, mas nunca fez nada de concreto para que ele se realizasse, sabe? — e, junto de um amigo e do Garage Band, faremos nossa primeira jam.

Como um bom cara do marketing digital, já criei até página no Facebook para a Inbound Rocket — sim, temos um nome! Não que tenhamos a pretensão de fazermos sucesso ou algo do tipo, a banda é realmente um hobby, mas o fato de formalizá-la em nossas vidas criando um canal onde podemos publicar e ver nosso progresso, nos dará motivação para continuarmos.

Agora, me pergunte se sei tocar algo? Sou horrível. Sério. Muito ruim. Mesmo. E já tenho 27 anos, não sou mais uma criança que aprende as coisas rapidamente. Mas aí é que está a graça do negócio que faz todos aqueles itens citados acima terem sentido.

E você? Quais seus hobbies? Também tem algum sonho distante que está engavetado?

28 anos, catarinense, escritor, empreendedor, growth hacker, guitarrista frustrado, marido da Laís. Eleito pelo LinkedIn como o terceiro brasileiro mais influente da rede em 2016.

  • Nathan Souza

    Ótimo texto Matheus, pra variar… Realmente. O que nos impede de realizarmos aqueles sonhos que a gente tem quando é mais novo somos nós mesmos e às vezes por não ter motivação e esperança de um retorno “palpável”. Mas como você citou tem a ver com a subjetividade de cada um. O prazer que esse hobby vai gerar. Parabéns pelo texto e to esperando o de quarta-feira [rsrs]. Abraço!

  • Caio

    Realmente as coisas que você apontou no texto são verdades. Recentemente comecei a adaptar músicas internacionais que eu gosto pro português e se tornou uma terapia, pois não é traduzir, você tem que manter o sentimento original da música, adaptar a letra no ritmo e manter uma coerência harmônica na letra. Levo até três horas pra finalizar, mas são três horas que nem vejo passar, é muito gratificante.