Blog

  • Home

Escrever um livro é o sonho de muita gente. Também era o meu e, como autor de primeira viagem, confesso que ver seu trabalho na prateleira de uma livraria é um sentimento único.

E vou te falar que a parte mais difícil quando falamos do livro em si não é ser publicado: é escrever. Afinal, livros não se escrevem sozinhos.

Para início de conversa, não é só “sentar a bunda na cadeira e escrever”. A escrita não funciona assim. Existe todo um processo.

Você gastará um bom tempo com pesquisa, depois escreverá uma frase, essa frase se tornará um parágrafo, você vai cortar coisas desse parágrafo e, se der sorte, depois de algumas semanas terá um capítulo. A escrita de um livro acontece em pedaços.

Nem preciso dizer que você precisará, principalmente, de planejamento. Então vou pular essa parte e te ajudar com as cinco principais lições que aprendi durante o processo de criação do meu primeiro livro, Nômade Digital: um guia para você viver e trabalhar como e onde quiser.

1 – Insira um espaço na sua rotina diária para o livro

Meu livro tem pouco mais de 33 mil palavras. Em um raciocínio preguiçoso e utópico para autores de primeira viagem, posso dizer que escrevendo 2 mil palavras por dia durante 3 semanas e meia (excluindo finais de semana) você escreve um livro do tamanho do meu –– 192 páginas, para uma melhor visualização.

O problema nessas receitas de bolo de escrever x mil palavras por dia durante x semanas é que a escrita, principalmente de um livro, não funciona assim.

Você deve levar em conta que o processo envolverá muita pesquisa, que muito do que você escrever não será aproveitado e que haverá dias em que você simplesmente não conseguirá escrever uma palavra sequer.

Eu imagino que você tenha seu trabalho em tempo integral, talvez tenha filhos e uma rotina onde sobre pouco ou nenhum tempo para escrever. Então a dica é cortar temporariamente coisas da sua rotina que não são obrigações e preencher este espaço com o livro.

O que eu fiz: Sacrifiquei meu sono e parte da vida social. É o ideal? Provavelmente não. Boa parte do meu livro foi escrito enquanto eu viajava o mundo. Para conciliar minha produção de conteúdo na internet, os freelas e ainda conhecer um pouco das cidades onde morei temporariamente, passei a acordar cada vez mais cedo e a sair menos à noite. Escrever um livro exige alguns sacrifícios pessoais.

2 – Crie uma estrutura para o livro

Não pense que você irá abrir seu editor de texto e sair cuspindo palavras aleatoriamente. Você precisará de um mínimo de organização.

Se você já escreveu um Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) na faculdade provavelmente se irritou com a estrutura que devemos seguir para garantir a aprovação. Pois bem, o TCC é um ótimo exemplo de como criar uma estrutura para um livro.

O projeto de um TCC começa com a definição dos objetivos geral e específicos. Eles são responsáveis por apresentar o direcionamento da pesquisa e os resultados esperados com o trabalho acadêmico. Pois bem, qual o direcionamento do seu livro e quais resultados cada capítulo vai entregar?

O que eu fiz: O tema do meu livro é nomadismo digital. No meu caso, pensei em um subtítulo que mostrasse seu direcionamento (“um guia para você viver e trabalhar onde quiser”) e a partir daí criei um sumário detalhado com temas específicos que eu deveria tratar.

Como escrever um livro em 6 meses

Na imagem acima você encontra a estrutura do capítulo 8 do meu livro –– o software utilizado por mim é o Scrivener. Saber o que eu deveria abordar em cada um dos tópicos facilitou muito o processo de escrita.

3 – Defina prazos e torne-os públicos

O segredo da produtividade? Prazos apertados.

Meu livro foi lançado através da editora Autêntica Business. O processo foi simples: eles me convidaram para publicar um livro e pouco mais de 1 ano após a assinatura do contrato Nômade Digital foi lançado.

Eles não me deram um prazo, mas deixaram claro que quanto mais rápido eu entregasse a versão final, mais rápido o livro seria publicado. Meu editor garantiu que se eu terminasse de escrever a obra até dezembro de 2018, o livro seria publicado em julho de 2019. E assim foi.

O que eu fiz: Avisei nas minhas redes sociais que o livro seria publicado na metade de 2019 antes mesmo de escrever a primeira linha. O compromisso público é importante. É sua reputação que está em jogo. Dia 31 de dezembro de 2018, como um bom aluno que deixa as coisas para última hora, entreguei a versão final do livro. Dia 31 de julho de 2019 ele foi lançado –– lançar um livro envolve coisas como edição, revisão, projeto gráfico, etc.

4  – Shit happens

A vida é cheia de eventos imprevisíveis. Você pode ter um problema de saúde ou seu casamento acabar enquanto você está escrevendo seu livro –– que foi o que aconteceu comigo.

Por ter sacrificado meu sono muitas vezes, meu corpo também começou a dar sinais de esgotamento –– físico e mental.

Em resumo, os últimos dois meses do processo de escrita foram bem estressantes e muitas vezes perdi o controle do primeiro item deste texto. Em alguns momentos tive que cortar o livro da minha rotina para… viver.

O que eu fiz: Tentei não surtar. E bebi muita água. Estar hidratado é fundamental.

5 – Escrever um livro e publicar um livro são coisas bem diferentes

Publicar seu livro através de uma editora é um processo que pode levar meses. Se você não recebeu um convite como eu, terá que enviar seu original para avaliação. A resposta, seja ela positiva ou negativa, é demorada.

A autopublicação é a outra rota viável, mas requer um conhecimento especializado. Não é simplesmente enviar seu arquivo do Word pra Amazon. Requer um conjunto de habilidades que vai bem além da escrita.

O que você pode fazer: Se você pretende publicar seu livro de forma digital, o programa Kindle Direct Publishing (KDP) da Amazon é o mais indicado.

Recentemente, a Laís Vargas, uma das Top Voices do LinkedIn, lançou seu livro Hackeando o PPT de forma independente na Amazon. Em pouco tempo o livro entrou para a lista de mais vendidos do site nas categorias de Educação, Desenvolvimento Profissional e Negócios.

Para ajudar outros escritores, de primeira viagem ou não, que pretendem se autopublicar, a Laís lançou o curso online Quero ser Escritor. No curso ela promete te ajudar a realizar o seu grande sonho, sem firulas e com ferramentas desenvolvidas pela própria Laís!

PS: Até às 23h59 do dia 26/11/2019 o curso estará com R$ 200,00 de desconto. Inscreva-se aqui!

Sou um escritor que vive pelo mundo e conta histórias, autor de "Nômade Digital: um guia para você viver e trabalhar como e onde quiser" (Autêntica Business, 2019). Escrevo para tornar a vida e o trabalho das pessoas mais leves.