Eu sou um ávido leitor. Mas, nem sempre foi assim. Comecei da maneira errada: sendo obrigado pela escola a ler romances pelos quais eu não me interessava. Isso meio que gerou um bloqueio e, apenas na faculdade, posso dizer que li meu primeiro livro — ou pelo menos que eu lembre do conteúdo. Na época, fiquei fascinado com “A Cabeça de Steve Jobs” e descobri um novo gosto literário: livros biográficos ou de desenvolvimento pessoal.

Esse tipo de leitura era diferente. Quando terminei de ler “O Poder do Hábito“, por exemplo, eu sabia que poderia usar todo aquele conhecimento em meu benefício. Em “Trabalhe 4 Horas por Semana“, entendi que havia uma possibilidade de largar meu emprego tradicional e me tornar um nômade digital.

Livros são tudo o que você precisa se quiser aprender sobre determinado tema. Em vez de tentar descobrir tudo por conta própria, você pode ler um livro e aprender com experiências e pesquisas de outros.

Sophia Amoruso, a “Girl Boss“, queria vender roupas pela internet, mas não tinha feito faculdade e não sabia nada sobre negócios. Comprou um livro chamado “Como Começar um Negócio no eBay — para Principiantes” e, a partir daí, montou sua loja online e a transformou num império fashionista que chegou a faturar US$ 300 milhões num ano.

Com o conhecimento certo em mãos, tudo é possível. E isso não é apenas uma frase motivacional ou mais um clichê internético. É a real. Pense na sua carreira: se você leu um livro incrível sobre determinado tema e seu concorrente não, você estará um passo a sua frente.

O único problema é: ler um livro demanda tempo. Horas, dias e, às vezes, semanas. Mesmo quando você treina suas habilidades de leitura e consegue ler mais rápido, leva uns dias para ler um livro de 400 páginas, por exemplo.

Pra quem tem sede por conhecimento, isso é frustrante. Eu adiciono toda semana novos livros à minha lista de leitura e, toda vez que leio algo, procuro as referências daquele autor, consequentemente, adicionando mais e mais livros à lista. É um ciclo que não tem fim. E não tinha solução — até eu conhecer um aplicativo chamado 12 Minutos.

“Que livro devo ler em seguida?”

Descobrir novos livros é uma aventura sem fim. Ao longo dos anos li uma centena e listei outra para leituras futuras. Mas, como encontrar tempo para ler uma centena de novos livros?

Primeiro, determine quais livros valem a pena ler e quais livros não. Ficou na dúvida se um livro é bom? Entre no site da Amazon e leia os comentários de quem leu. Isso te ajuda a filtrar o que deve ou não ser lido.

Agora, se você quer absorver mais conhecimento em menos tempo, te indico o 12 Minutos. O aplicativo captura as ideias fundamentais de livros de não-ficção — eles chamam isso de microbooks.

Confesso que fiquei receoso no começo:

  • Esse aplicativo é apenas para pessoas superficiais?
  • Trocarei qualidade por quantidade?

Bom, o que descobri testando a versão gratuita do 12 Minutos antes de fazer minha assinatura é que os microbooks capturam os conselhos acionáveis de cada obra — e isso é o que eu sempre procuro num livro cujo tema é desenvolvimento pessoal: “Como posso aplicar isso na minha vida ou no meu trabalho?“.

O que mais tenho aproveitado dessa experiência são as versões de áudio dos microbooks. Essa é a maneira perfeita que encontrei para preencher o chamado “tempo morto“. Aqueles minutos ou horas que perdemos com tarefas banais e automáticas — filas de espera, ônibus, voos, exercícios físicos, faxinas

microbooks-12-minutos

Minha ideia inicial para consumir mais livros em menos tempos, antes de conhecer o 12 Minutos, era investir em audiobooks — as versões completas dos livros, mas em áudio. O problema é que também demanda um tempo ouvir um livro inteiro. Quando consumo livros, tento absorver o conhecimento — faço anotações, destaco passagens interessantes no Kindle e, às vezes, fotografo a página e salvo o arquivo no Evernote. Não posso fazer isso com os áudios completos do livros, porém, como o aplicativo também possui as versões escritas dos microbooks, quando ouço algo que me chama a atenção, pauso o áudio e tiro print da tela do celular — outra função interessante é que você também pode consumir o conteúdo quando estiver offline.

O 12 Minutos funciona bem porque esses áudios são curtos — daí vem o nome. Eu uso meu tempo morto, principalmente em minhas caminhadas matinais ou enquanto lavo a louça (pega essa, Rodrigo Hilbert #HomãoDaPorra), para ouvir os microbooks. Isso tem otimizado minha relação entre tempo x absorção de conhecimento. E não só pela questão de consumir novas ideias diariamente: o aplicativo também tem servido como filtro para decidir se devo ou não comprar um livro.

Sim, comprar um livro.

Isso não significa que parei de ler livros em formatos físicos ou digitais.

O 12 Minutos não os substitui. A proposta não é essa — o aplicativo é uma ferramenta auxiliar. Se eu gosto muito do microbook que ouvi, compro o livro completo para me aprofundar no assunto — acabei de fazer isso com o best-seller “Foco“, do Daniel Goleman.

O aplicativo também tem me ajudado a resgatar conhecimentos que adquiri no passado. Ouvir a versão resumida de “Como Fazer Amigos e Influenciar Pessoas“, por exemplo, me trouxe novos insights.

Te recomendo fazer o cadastro gratuito e testar o app por 3 dias — caso não queira assinar o plano anual, você terá direito a ler ou ouvir 1 livro por semana. Esse aplicativo certamente mudará a forma como você absorve conhecimento.

***

Você tem algum outro hack ou dica sobre aprendizado acelerado?

Escreva nos comentários! Adoro testar novas ferramentas, aplicativos e gadgets!

SalvarSalvar

SalvarSalvarSalvarSalvarSalvarSalvar

28 anos, catarinense, escritor, empreendedor e freelancer em marketing digital. Eleito pelo LinkedIn como o terceiro brasileiro mais influente da rede em 2016. Escreve também no HuffPost e no Transformação Digital.

  • Vanessa Marchiori

    Então recentemente descobri o PodCasts, uma ferramenta que tem ocupado muito bem o meu “tempo morto”. Costumo ouvir o canal “Café Brasil”, são áudios de mais ou menos 30min com os mais variados temas, que tem feito eu repensar e questionar muito certos assuntos. Obrigada pela dica 🙂