Empreendedores e criativos em geral perseguem incansavelmente a produtividade. Tudo o que fazemos — cada decisão, cada investimento, cada reorganização — depende do giro das engrenagens executado no dia a dia, da excelência que mantém as luzes acesas e os números longe do vermelho.

A criatividade, por outro lado, é inerentemente disruptiva. Seu cérebro faz alguma conexão maluca e em questão de segundos você para o que está fazendo e coloca sua ideia num papel. Numa análise rasa, poderíamos dizer que a criatividade é o oposto da produtividade. Você não pode quantificá-la. Você não pode medi-la. Você não pode colocá-la numa planilha do Excel. Ela parece ótima para o desenvolvimento de ideias, mas péssima para o cumprimento de prazos.

Mas, como equilibrar ambas? 

Acredito que a criatividade pode nos levar à produtividade, desde que o ambiente de trabalho seja desenvolvido e alimentado de uma forma que as duas coisas coexistam pacificamente.

E, como fazer isso?

Ninguém sabe onde ou como a próxima grande ideia surgirá, mas posso te dizer com toda a certeza que nunca virá acompanhada da frase “sempre fizemos desta maneira e deu certo“.  Moldar ambientes onde a criatividade possa florescer e não se apegar a metodologias e processos do passado pode livrar seus colaboradores de rotinas improdutivas.

A produtividade muitas vezes é vista como lidar com as mesmas tarefas todos os dias utilizando o mínimo de tempo para realizá-las de forma eficiente. Em muitos aspectos, essa definição realmente pode ser muito boa para o seu negócio, porém, caso você tenha uma posição de gestão, este conceito pode impedir que seus colaboradores desafiem-se a superar suas metas — este tipo de mindset é uma das principais razões pelas quais o “sempre fizemos desta maneira e deu certo” é tão comum nas empresas.

O pensamento criativo encoraja as pessoas a alavancarem o foco produtivo sobre questões que impactam comercialmente um negócio. Deixar os colaboradores livres para escolherem seu método de trabalho ao invés de pura e simplesmente lhes passar uma lista de tarefas pode ser altamente motivador. Uma das chaves para nutrir um ambiente de trabalho criativo é dar aos funcionários uma maneira de expressar suas ideias. Fazendo isso, além de valorizá-los, você terá novas formas de pensar seu negócio e, meu amigo, é assim que se tem inovação.

Um componente fundamental neste processo é dar às pessoas a liberdade de fracassar. O medo do fracasso ou de uma possível demissão paralisa ambientes criativos e, consequentemente, a produtividade. A cultura do medo e do terrorismo corporativo impede qualquer possibilidade de melhoria ou inovação. Acredite, você não conseguirá nada além do “sempre fizemos desta maneira e deu certo” adotando essas práticas.

Portanto, possíveis falhas que surgirem na busca por novas ideias devem ser comemoradas. Isso incentiva o pensamento inovador. E é através da inovação que novos patamares de produtividade são realizados.


Faça parte do meu grupo fechado de dicas por e-mail clicando aqui. É grátis!

28 anos, catarinense, escritor, empreendedor, growth hacker, guitarrista frustrado, marido da Laís. Eleito pelo LinkedIn como o terceiro brasileiro mais influente da rede em 2016.