O LinkedIn é hoje minha principal ferramenta de geração de leads e prospecção de clientes, porém, o grande responsável pelas vendas dos meus infoprodutos (meu curso online e links de parceiros afiliados) é um cara chamado MailChimp.

Peraí, então quer dizer que em pleno 2018 ainda se usa e-mail marketing para vender?

Sim. Se usa. E dá retorno, bicho.

Pelo menos é o que diz no Adobe Consumer Email Survey Report 2017, estudo realizado pela Adobe sobre dados de comportamento dos usuários de e-mail e como eles interagem com as publicidades recebidas em suas caixas de entrada.

A pesquisa mostrou que o e-mail marketing continua firme e forte no mercado, oferecendo o melhor Retorno Sobre Investimento (ROI) das mídias digitais.

Agora que esclarecemos isso, aprenda a criar sua própria máquina de vendas através do MailChimp.

O que é o MailChimp e o porquê de eu utilizá-lo

mailchimp-automação

O MailChimp é uma ferramenta de automação de e-mail marketing. Com ele você pode gerenciar listas de e-mail, criar campanhas e landing pages, realizar testes A/B e aproveitar diversas outras funções e integrações com ferramentas e aplicações de terceiros.

Comecei a utilizá-lo em sua versão freemium no final de 2015, quando escrevi meus primeiros artigos por aqui. Nessa versão você pode utilizar quase todos os recursos e não paga nada por isso.

Esse plano vale muito para quem ainda tem uma base de endereços pequena e, por isso, dispara poucos e-mails. O freemium te dá direito à 12.000 envios por mês e até 2.000 assinantes, então não há a necessidade de assinar o serviço logo no início – em maio de 2016, quando minha lista superou os 2.000 contatos, migrei para o plano pago.

Abaixo, a tabela de preços.

mailchimp-preços

É importante frisar que a ferramenta é inteiramente em inglês e os pagamentos são feitos em dólar. Caso você não domine a língua, fique tranquilo: o MailChimp é bastante intuitivo. Você também pode utilizar o Google Tradutor para traduzir os menus – mas o que te aconselho mesmo é estudar inglês…

E aí você me pergunta:

– Ok, Matheus. Por que o MailChimp e não outra ferramenta do tipo?

Nunca utilizei outra ferramenta do tipo além do MailChimp. Desde o início ele atendeu minhas necessidades, então nunca cogitei trocar de serviço. Também não estou sendo pago para escrever sobre a ferramenta (embora eu adoraria que fosse o caso). No máximo, se você assinar um plano através deste link, eu e você ganhamos um cupom de US$ 30 que será descontado na fatura do próprio MailChimp. Ou seja, o caso aqui é de amor mesmo!

Criando e configurando sua conta

Criar uma conta é fácil. A parte mais “chatinha” é configurá-la. Mas, relaxa que vou te ajudar nessa.

Após acessar o site do MailChimp através do meu link (para nós dois ganharmos um descontinho maroto caso você assine algum plano), clique na opção “Sign Up Free“.

Você será direcionado para a tela abaixo, preencherá os dados e, automaticamente, fará parte do plano “Forever Free” – pagando um valor mensal apenas quando sua lista ultrapassar os 2.000 contatos.

mailchimp

Outra configuração inicial importantíssima é o fuso horário. Assim que sua conta for criada (você ainda preencherá alguns dados básicos de endereço), clique no seu usuário no topo superior direito e procure pelo menu “Account“. Depois vá em “Settings” e em “Details“. Altere a “Time Zone” para o lugar do mundo onde você está e pronto: seus e-mails serão enviados nos horários certos.

Criando uma lista de e-mails

Nota importante: Nunca, em hipótese alguma, compre listas de e-mail.

Criar uma lista de e-mails é muito fácil. Clique em “Lists” e vá em “Create List“. Escolha um nome para a sua lista, o endereço de e-mail que enviará as campanhas e como seu nome aparecerá nas mensagens. Você também deve adicionar um lembrete explicando como obteve a permissão para enviar o e-mail.

mailchimp-lista-de-emails

Caso você já tenha uma lista de e-mails, seja de clientes ou alguma base utilizada em outro serviço de e-mail marketing, você pode fazer a importação dos contatos através do caminho “Lists“-> “Add Contacts“-> “Add Subscribers” -> “Subscribe“. Os endereços podem ser importados através de um arquivo csv/txt, via integração com aplicações de terceiros ou no bom e velho ctrl + c e ctrl + v.

Como coletar endereços de e-mail

Reforço da “nota importante”: Nunca, em hipótese alguma, compre listas de e-mail.

Agora que você criou a(s) sua(s) lista(s) (plural porque você pode e deve criar mais de uma lista para diferentes grupos de leads), vamos para uma parte fundamental deste tutorial: como coletar endereços de e-mail e criar sua base de dados.

Em minha estratégia de captação utilizo, principalmente, duas opções de Formulários de Cadastro (“Signup Forms“) oferecidas pelo MailChimp:

  • General Forms“: Formulários padrões de cadastro que podem ser acessados através de um link. No print abaixo o exemplo de formulário de cadastro que utilizo (perceba que no final dos meus artigos no LinkedIn você encontra sempre uma call to action para a minha newsletter que redirecionará você para este link).

matheus-de-souza-newsletter

  • Embedded Forms“: Formulários que você pode incorporar em páginas do seu site ou blog. Eu utilizo uma pequena “caixinha” no rodapé do meu site que tem uma ótima taxa de conversão. Você pode conferir diretamente aqui.

Para criar seus formulários de cadastro é fácil:

Acesse “Lists“, escolha sua lista de preferência (caso tenha mais de uma) e clique em “Signup Forms“.

mailchimp-email-marketing

Por padrão, os campos dos formulários gerais do MailChimp estão configurados em inglês. Porém, você pode traduzi-los. Clique em “Select” dentro da aba “General Forms” da lista escolhida e, após escolher o tipo de e-mail a ser configurado, clique em “Translate It” para fazer as traduções. Há uma opção de tradução automática (“Auto-Translate“) onde você pode selecionar o Português Brasileiro – não é uma tradução perfeita, mas quebra o galho e você pode personalizá-la.

Além dos formulários, recentemente o MailChimp lançou uma maneira incrível de coletar e-mails (mas que ainda não testei): a opção de criar landing pages. Ou seja, você agora pode criar páginas completas de coleta de dados e incorporá-las ao seu site ou blog.

Criando sua primeira campanha de e-mail

Se você chegou até aqui, percebeu que não é só criar uma conta e sair disparando os e-mails, né? Sua primeira campanha só deve ser lançada após você ter seguido os passos acima.

Feito tudo isso, clique no menu “Campaigns“e em “Create Campaign“.

mailchimp-criar-campanha

Após escolher o tipo e nome da sua campanha, você a criará em cinco passos:

  • Recipients“: A lista que receberá a mensagem.
  • Setup“: As informações da campanha. Assunto do e-mail, remetente, etc.
  • Template“: O design do e-mail. O MailChimp disponibiliza vários templates e temas. Escolha um do seu agrado e vá para a próxima etapa.
  • Design“: Aqui é onde você vai escrever sua mensagem. Antes de enviar o e-mail para todos os destinatários, você pode enviar um teste para seu próprio endereço – assim você tem a chance de ver como sua campanha aparecerá na caixa de entrada das pessoas.
  • Confirm“: Essa tela serve para você ver se está tudo certo com a campanha.

Se tudo estiver ok é só apertar o botão e lançar sua primeira campanha!

mailchimp-marketing

Ganhe dinheiro enquanto dorme: coloque seu negócio no piloto automático através das automações

Chegamos na minha parte favorita. É aqui que a máquina de vendas começa a engrenar.

O MailChimp oferece opções interessantes de automação. Você pode configurar um e-mail de boas-vindas para os leads, programar e-mails educativos sobre o seu negócio e lançar campanhas específicas para públicos segmentados.

Sabe quando você começa uma compra numa loja virtual, mas desiste no meio do caminho e no dia seguinte recebe um e-mail com um desconto ou algo do tipo? Então, você pode fazer isso e muito mais através das automatizações segmentadas.

O caminho para acessar este recurso é o mesmo da criação de campanha, porém, ao clicar em “Create an E-mail” no menu “Create Campaign“, escolha a opção “Automated“. Lá você encontra todas as opções e pode configurar suas campanhas específicas para “ganhar dinheiro enquanto dorme”.

No meu caso, utilizo duas campanhas específicas:

  • Welcome New Subscribers“: E-mail de boas vindas. Envio uma mensagem “educativa” com links úteis sobre o meu trabalho para os leitores que acabaram de se cadastrar. Como você pode ver no print, a taxa de abertura do e-mail de boas-vindas passa dos 50%. Hoje minha newsletter conta com mais de 20 mil inscritos, porém, criei essa automatização apenas na metade de 2017 (olha quantas vendas posso ter perdido) e “apenas” 6.497 novos inscritos receberam a campanha.

mailching-automatizar-emails

  • List Added Date“: Aqui você tem a opção de enviar um ou mais e-mails para seus leads de acordo com o tempo em que estão cadastrados na lista. No meu caso, como minha audiência está se renovando, tenho uma sequência de três e-mails (com alta taxa de abertura) em que os leitores recebem as mensagens 7, 30 e 45 dias após se cadastrarem. Em todas ofereço meus infoprodutos e sempre “pinga” algum dinheiro na conta – daí o “ganhe dinheiro enquanto dorme”.

E aí, pronto para vender mais?

O MailChimp é uma ferramenta poderosa e eu recomendo fortemente que você a teste – aproveita que dá para usar de graça.

Porém, como toda ferramenta, é preciso saber operá-la. Este tutorial é um norte, não é uma verdade absoluta, são apenas minhas impressões. O legal mesmo é “fuçar” e aprender as coisas na prática! 🙂

MailChimp

Artigos relacionados:

Nômade digital que escreve, empreende e ensina. Eleito pelo LinkedIn como o terceiro brasileiro mais influente da rede em 2016. Cofundador do be freela. Você também pode ler meus conteúdos no HuffPost, no Transformação Digital, Comunidade Rock Content e no Medium.