Ernest Miller Hemingway foi um dos maiores escritores americanos do século XX. Sua obra mais popular, “O Velho e o Mar“, lhe garantiu um Prêmio Pulitzer em 1953.

No ano seguinte, Hemingway ganharia o Prêmio Nobel de Literaturapor seu poderoso domínio da arte da narração moderna e pela influência que exerceu sobre o estilo contemporâneo” – palavras da comissão do Nobel.

Embora Hemingway nunca tenha reunido suas estratégias de escrita em um livro como fez Stephen King em “Sobre a Escrita“, ele documentou suas técnicas em cartas enviadas para agentes, editores, escritores e amigos.

Essas cartas deram origem a “Ernest Hemingway on Writing“, livro editado por Larry W. Phillips que compilou as reflexões de Hemingway sobre seu processo de escrita, fornecendo um material riquíssimo sobre escrita criativa para quem deseja escrever melhor.

hemingway-on-writing
Foto: Laís Schulz.

Comprei esse livro numa tarde chuvosa enquanto estive no México. Estou finalizando meu primeiro romance e fiquei curioso para entender o processo e os hábitos de um dos escritores mais famosos da história.

Hemingway foi um romancista, mas as dicas contidas no livro são muito úteis para blogueiros, produtores de conteúdo, profissionais criativos ou qualquer pessoa que escreva – profissionalmente ou não.

Porém, ainda não há uma tradução da obra para a língua portuguesa. Por isso, reuno nesse artigo os melhores conselhos de Ernest Hemingway para você escrever melhor.

Processo de escrita e hábitos

conselhos-hemingway

Para começar, escreva uma frase verdadeira“.

Escrever a lápis dá a você a possibilidade de ver o seu trabalho três vezes. Para certificar-se de que está realmente comunicando ao leitor aquilo que você lhe quer dar. Primeiro, quando lê o que escreveu; depois, quando o original é datilografado, tem nova oportunidade para aperfeiçoá-lo e, finalmente, na prova tipográfica.

Escreva frases breves. Comece sempre com uma oração curta. Utilize uma linguagem vigorosa. Seja positivo, não negativo“.

Evite o uso de adjetivos, especialmente os extravagantes, como ‘esplêndido’, ‘deslumbrante’, ‘grandioso’, ‘magnífico’, ‘suntuoso’“.

Um escritor se serve, não descreve. Inventa ou constrói a partir do conhecimento pessoal ou impessoal“.

Escrevo uma página maestral por cada noventa e uma de merda. Tento jogar toda a merda no lixo. O presente mais essencial para um bom escritor é ter um detector de merda interno. É o radar do escritor e todos os grandes têm tido isso. Se você vai escrever, você precisa descobrir o que não funciona para você“.

Escrever bem é escrever sinceramente. Se um homem está escrevendo uma estória, será verdadeiro e sincero em proporção à soma de conhecimentos da vida que ele possui […]. Se ele não souber como muitas pessoas agem e pensam, como se processam os seus pensamentos e ações, a sua boa estrela poderá poupá-lo por algum tempo ou talvez possa escrever estórias da carochinha. Mas se continuar escrevendo sobre aquilo que não conhece, acabará por descobrir que não passa de uma fraude, de uma mistificação“.

A coisa mais importante que aprendi sobre a escrita é nunca escrever muito de cada vez… Nunca se deixar secar. Deixe um pouco para o dia seguinte. A principal coisa é saber quando parar. Não espere até que tenha escrito tudo. Quando ainda está fluindo bem e você sabe o que vai acontecer a seguir, essa é a altura certa de parar. Em seguida, deixe e não pense mais sobre isso; deixe o seu subconsciente fazer o trabalho“.

Bloqueio criativo

O melhor é parar sempre quando o negócio está saindo bem e você sabe o que irá acontecer a seguir. Se você fizer isso todos os dias, quando está escrevendo um romance, nunca ficará engasgado num beco sem saída. […] Desta maneira, o seu subconsciente estará trabalhando ativamente em torno do assunto o tempo todo“.

Na manhã seguinte, depois de uma boa noite de sono, reescreva o que escreveu no dia anterior. Desta forma, quando rever , o seu material estará cheio de pontos interessantes e escreverá um romance no qual nunca ficará preso e irá continuar a escrever coisas interessantes à medida que vai evoluindo. Todos os dias volte ao início e reescreva tudo e quando ficar maior, leia pelo menos dois ou três capítulos antes de começar a escrever e, pelo menos uma vez por semana volte ao início. Assim manterá a coerência e, quando rever novamente, corte tudo o que puder. A principal coisa é saber o que deixar de fora. A maneira de avaliar está indo bem é retirando material em excesso.

Inspiração

Nunca compita com escritores vivos. Você não sabe se eles são bons ou não. Compita com os mortos que sabe que são bons. […] É inútil escrever qualquer coisa que já tenha sido escrita antes, a menos que você possa superá-la. O que um escritor tem a fazer, no nosso tempo, é escrever o que não foi escrito antes ou bater os escritores mortos naquilo que fizeram.

Observe o que acontece hoje. Se encontrarmos um peixe, observe exatamente o que cada um faz. Se sentir um súbito alvoroço, uma excitação peculiar, quando vir o peixe saltar fora da água, reconstrua todas as suas recordações até perceber exatamente qual foi a ação que provocou em você aquela emoção“.

Quando as pessoas falam você deve escutá-las completamente. Não fique pensando no que vai responder, no que deve dizer a seguir. A maioria das pessoas não ouve. Você deve estar capacitado para entrar numa sala e, quando sair, saber tudo o que ali viu e não só isso. Se essa sala lhe despertou algum sentimento, deverá saber exatamente o que foi que lhe deu esse sentimento“.


Gostou das dicas?

Encerro o artigo com um conselho de Hemingway que transcende a escrita:

Pelo amor de Deus, escreva e não se preocupe com o que os outros vão dizer, ou se será uma obra-prima ou o que“.

Artigos relacionados:

Nômade digital que escreve, empreende e ensina. Eleito pelo LinkedIn como o terceiro brasileiro mais influente da rede em 2016. Cofundador do be freela. Você também pode ler meus conteúdos no HuffPost, no Transformação Digital, Comunidade Rock Content e no Medium.