Blog

  • Home

Este texto faz parte de uma troca de correspondências entre os escritores Matheus de Souza e Murillo Leal. Durante a quarentena, toda sexta-feira, um dos autores escreve uma carta no Expresso Tailândia-Brasil.

Leia a carta anterior do Matheus aqui.

Tenho me sentido bastante sozinho aqui também. Apesar da companhia do Chet Baker, boa parte do meu dia é trancado em um quarto. Mas, não há do que sentir pena, todos os que vivem boa parte do tempo consigo mesmo aprendem a deslocar suas expectativas de um jeito bom.






Publicado originalmente na página do Expresso Tailândia-Brasil no Medium.

Jornalista, escritor e especialista em storytelling. Autor do livro "Irrefutável Flagrante".