Blog

  • Home

Era maio de 2018 e eu lembro como se fosse hoje de quando li no LinkedIn um texto do Matheus intitulado Uma reflexão sobre aparências, estereótipos e preconceitos.

Lembro de acompanhar cada comentário, ver as nuances das opiniões e passar semanas com aquela reflexão na cabeça.

Lembrei da época em que eu fazia entrevistas com candidatos, de como eu tinha várias percepções de cada um deles em apenas 6 segundos.

A primeira impressão não é a que fica, mas é a que importa!

Eu não sou do time que acredita que a primeira impressão é a que fica, mas sei como ela é importante em nossas relações, comportamento e principalmente no mundo corporativo.

O que para muitos foi o auge do texto dizia o seguinte:

“Eu só não fui contratado porque um dos candidatos tinha um currículo impressionante e experiência na área. Sabem o que fez os entrevistadores balançarem entre nós dois mesmo ele tendo o perfil ideal para a vaga? O cara se apresentou na empresa de camiseta básica e calça jeans”.

Esse pequeno trecho do texto me mostrou a importância que se deve dar à sua apresentação e de como podemos influenciar as pessoas ao nosso redor se valendo de nossa imagem.

Perceba que um profissional com um currículo de alto nível quase não foi contratado porque não passou uma boa impressão.

Não quero entrar aqui no mérito se é certo ou errado, se é aceitável ou não.

O fato é que isso acontece todos os dias, não só no mundo corporativo, e você pode se beneficiar disso.

Eu sempre viajo de blazer, e roupa social, fazia muitas viagens no meu antigo trabalho e sempre pensei “eu não sei quem vai estar sentado ao meu lado do avião“.

Eu sempre tive a ideia que, em minha próxima viagem, a pessoa ao lado poderia ser o Abílio Diniz ou alguém que pudesse ser um cliente ou parceiro em potencial, então melhor pecar pelo excesso do que pela falta.

Nem só de terno viverá o homem

Antes que me joguem aos leões, não estou aqui falando que você tem de andar por ai de terno ou de roupa social.

Mas sim que, dentro da sua realidade, sendo quem você é, você pode ser sua melhor versão porque sua imagem diz muito sobre você.

Você não precisa ir de terno a uma entrevista, mas pode ir com uma calça mais alinhada, uma camisa social e um blazer.

Ser você mesmo é, e sempre será, a sua melhor imagem.

Não queira parecer o que você não é!


Sempre que falo em minhas palestras e treinamentos sobre imagem, muita gente questiona que não tem dinheiro para comprar roupas caras e de marca.

Não caia nessa armadilha, não confunda se vestir bem com comprar roupas caras, você não deve querer parecer rico e sim estar vestido adequadamente para provocar as percepções necessárias para gerar uma boa impressão.

Inclusive escrevi um conteúdo bem bacana que vai te ajudar a melhorar sua imagem:

>> Vista-se para o sucesso: 8 passos para melhorar sua imagem! <<

Independente da sua área, sexo ou idade, você vai aprender a metodologia que eu uso nas minhas consultorias para ajudar profissionais a alcançarem seus sonhos, através de uma imagem coerente com seus objetivos.

E, para concluir, eu gostaria que independente de tudo, você sempre se lembre:

“Você não é o que você veste, 

mas o que você veste tem de sempre passar o melhor de você!”

Se você gostou desse conteúdo e acha que ele pode ser bom para outra pessoa, compartilhe!


Quer ler mais conteúdos como este? Diego escreve sobre imagem e desenvolvimento pessoal no blog diegodisse.com!

Especialista em imagem e marketing pessoal, Diego Melo é pernambucano, empresário e palestrante. Ajuda pessoas a serem mais confiantes e seguras para que através de sua imagem melhorem seus resultados.