O marketing tem sido definido e redefinido ao longos dos anos. O seu propósito, no entanto, continua o mesmo: gerar leads. Independente do seu segmento, produto ou serviço, o objetivo é gerar conhecimento, demanda e, claro, vendas. Infelizmente, para algumas marcas, seus times deixam passar algumas oportunidades despercebidas que poderiam ser usadas na sensibilização do seu público alvo e suas buyers personas.

Se você trabalha com ou é um entusiasta do inbound marketing, já deve ter ouvido falar do termo growth hacking. Em linhas gerais, growth significa “crescimento” e hacking vem de “hacker“, mas podemos considerar o termo como “atalho”. Ou seja, um Growth Hacker procura atalhos para que a empresa cresça rapidamente — tudo dentro da lei, não me entenda mal!

Esse cara se difere do profissional tradicional de marketing digital porque sua arte baseia-se em atrair as pessoas através de técnicas de SEO. Ele domina ferramentas como o Google Analytics e valida suas ideias através de Testes A/B. Seus hacks podem aumentar significativamente os resultados de uma empresa, por isso a prática se tornou tão comum entre startups.

Ok, mas o que é e para que serve o tal do growth hacking?

Basicamente,  o growth hacking é uma estratégia de marketing que se concentra no aumento de tráfego para um site ou blog com o objetivo de gerar leads. Ao contrário do marketing tradicional, que incide sobre diferentes formas de crescimento — chamando a atenção do público para construir ou fortalecer uma marca —, o growth hacking gira em torno dos números.

A atuação do Growth Hacker não se limita a pesquisar palavras-chaves e otimizar o site da empresa para os mecanismos de busca. Sua função é pensar fora da caixa. Usar atalhos, por vezes simples, para alcançar e ultrapassar as metas.

Growth hacking na prática

Na teoria tudo é lindo e o growth hacking parece uma fórmula mágica, mas e na prática? Me dê exemplos, Matheus, você deve estar pensando.

O Dropbox é uma empresa que faz isso muito bem. Ao criar uma conta, você inicia com um armazenamento de até 2 GB gratuito na nuvem. Esse espaço pode aumentar para até 18 GB. Como? Indicando amigos. Cada novo usuário cadastrado através de uma indicação rende 500 MB de espaço extra. Qual a estratégia por trás disso? O Dropbox oferece planos pagos. Com mais gente utilizando o serviço de forma gratuita, maior a chance de fechar uma venda.

Devo largar o marketing tradicional e apostar minhas fichas no growth hacking?

De modo algum. Eles devem coexistir. O growth hacking não é mais fácil do que outros métodos que visam o crescimento, no entanto, é definitivamente o mais eficaz. Na economia de hoje, principalmente em um país em recessão como o Brasil, o growth hacking é praticamente a única maneira de levar sua startup ao topo.

***

27 anos, catarinense, escritor, empreendedor, growth hacker, guitarrista frustrado, marido da Laís. Eleito pelo LinkedIn como o terceiro brasileiro mais influente da rede em 2016. Sócio do Crush Design — uma das 100 startups mais inovadoras do estado de Santa Catarina.