Muitos que leem meus textos aqui no blog ou no LinkedIn Pulse talvez não saibam, mas faço parte de uma startup chamada Projeto CR.U.SH. Somos um portal online de compartilhamento de desenhos de móveis. Nosso propósito é espalhar design pelo mundo através de móveis digitais com a patente aberta (open source).

E o que significa CR.U.SH?

CR.U.SH é uma sigla que significa:

CReate – Criar

Upgrade – Melhorar

SHare – Compartilhar

Nós criamos os projetos e produtos. A comunidade se empodera e os melhora. E todos nós compartilhamos conhecimento, projetos e valor.

Além disso, a palavra “crush“, em inglês, significa esmagar, triturar, destruir. É isso que nós fazemos com os paradigmas! Nós esmagamos as velhas ideias. Trituramos o velho modelo de negócio. Destruímos os preconceitos.

Mas, o que são móveis digitais?

Consideramos mobiliário digital todo o móvel criado em ambiente virtual, softwares de desenho e modelagem 3D, e fabricados por máquinas automatizadas Router CNC.

Quando transformamos um objeto físico como um móvel em arquivo digital nós alteramos o modelo de distribuição e consumo de móveis. Você poderá fabricar seu móvel em qualquer lugar do mundo que tenha uma máquina Router CNC. A máquina faz todo o trabalho e a única mão de obra utilizada é na fase de montagem e acabamento do móvel.

Legal, né?

Os jurados do Sinapse da Inovação de 2016 também acharam. No início do ano fomos premiados como uma das 100 startups mais inovadoras do estado de Santa Catarina.

O que vem pela pela frente

Nós queremos transformar o mundo em que vivemos propondo novas ideias e questionando o modelo atual que nos é imposto.

E se o mundo fosse mais compartilhado? E se nosso consumo fosse mais racional? E se o modelo de negócio fosse diferente?

Dia 30 de junho vocês saberão sobre a nova causa que escolhemos para lutar.

Venha transformar o mundo conosco!


Faça parte do meu grupo fechado de dicas por e-mail clicando aqui. É grátis!

28 anos, catarinense, escritor, empreendedor e freelancer em marketing digital. Eleito pelo LinkedIn como o terceiro brasileiro mais influente da rede em 2016. Escreve também no HuffPost e no Transformação Digital.