Resolvo aproveitar melhor meu tempo e deixar o sedentarismo e a procrastinação de lado. Caminhadas matinais, um tempo dedicado à leitura, uns minutos para escrever algo. Pra isso preciso de planejamento. Abro uma planilha do Excel e começo a destrinchar minha nova rotina. Dias da semana em negrito, atividades coloridas de acordo com seu tipo: exercícios físicos, exercícios mentais, lazer. Tudo devidamente organizado. Lindo. Segunda-feira eu começo.

A segunda-feira chega. O alarme do celular desperta. O tempo está ensolarado, ótimo para minha caminhada matinal. “Mais cinco minutinhos”, penso eu ao ativar o modo soneca do meu velho BlackBerry. Os cinco minutinhos viram trinta, que viram uma hora. “Bom, amanhã eu caminho”. Ligo o notebook com a desculpa de ler as notícias. Abro o Facebook e entro em seu buraco negro. Me perco entre usuários a favor do casamento gay e os que se dizem contra apesar de não terem preconceito. Minha cabeça da um nó em meio a uma enxurrada de contradições.

Chega de Facebook. Já são 9 horas. Resolvo ler algo. Depois de ficar quinze minutos passando o olho em títulos de livros salvos em meu Dropbox, desisto. Entro no Facebook. O assunto da vez é Zeca Camargo. Ele disse algo sobre aquele cantor que morreu, o Cristiano Araújo. O pessoal parece não ter gostado muito. Assisto o vídeo do seu comentário e não acho nada demais. Fecho o Facebook.

São quase 10. Resolvo escrever. Abro o iTunes para escolher uma trilha sonora adequada. Entre milhares de músicas, não consigo achar uma para o momento. Escolho Sonic Youth. Não, muito barulhenta. Preciso de algo instrumental ou eletrônico. Com Truise. O nome dele é engraçado. Entro no Twitter para escrever algum trocadilho com seu nome artístico. “Chet Faker e Com Truise. Dois caras com trocadilhos em seus pseudônimos que são cada pra foralho”. Levo cinco minutos para conseguir essa tirada. Bom, agora vou ouvir o Com Truise. Mas qual álbum?

Olho para a tela em branco do Scrivener. Com Truise não está ajudando. Preciso de outra fonte de inspiração. Entro no Facebook. Zeca Camargo pediu desculpas, mas se enrolou nas palavras e, assim como Fátima Bernardes, assassinou Cristiano Ronaldo. Os primeiros memes começam a surgir. O site Sensacionalista já tem uma piada pronta sobre a confusão com os nomes. “Zezé di Camargo é confundido com Zeca Camargo e acaba agredido por fã de Cristiano Ronaldo” é minha favorita. De onde os caras tiram essas coisas, né?

11:30. Tenho que almoçar e tomar banho. Dou uma última olhada na minha planilha e faço um trato comigo mesmo de que amanhã começo essa nova rotina. Agora é hora de passar as próximas nove horas e trinta minutos no trabalho. Não posso me atrasar. Abro o Facebook…

27 anos, catarinense, escritor, empreendedor, growth hacker, guitarrista frustrado, marido da Laís. Eleito pelo LinkedIn como o terceiro brasileiro mais influente da rede em 2016. Sócio do Crush Design — uma das 100 startups mais inovadoras do estado de Santa Catarina.

  • Múlio de Jedeiros

    Cipócrita do haralho!

  • Gostei deste teu relato. Quase parece meu. Apenas não tenho essa força para vencer uma boa soneca ou quando tal acontece, e não encontro uma música que me agrade,… estamos mal. Muito mal. Dia deprimente, seguramente.
    Já agora, aqui te deixo a segunda casa aqui no WP, que espero seja do teu agrado: https://revivalismoesussurros.wordpress.com/

    Abraço.

  • O engraçado do Facebook é que mesmo não gostando você não consegue se livrar dele, queria saber que tipo de droga o Mark Zuckerberg colocou nessa receita, porque né….
    Eu te entendo, também sou assim, sempre dizendo que vou mudar os hábitos, mas sempre acabo me distraíndo com alguma coisa antes e deixando a mudança pra depois, só que o depois nunca chega.

    https://diariodaellie.wordpress.com/
    P.S.: gostei bastante da sua escrita, é leve e bem gostosinha de ler.

  • Ótimo texto! Fui ouvir Com Truise logo em seguida!

  • Gostei do texto, ele quase revela a minha rotina…