Você, já adulto, encontra por acaso aquele seu amigo do tempo da adolescência. A amizade parece continuar a mesma, os dois amigos apenas seguiram caminhos diferentes. A vida não é mais chegar da escola e ir direto jogar video-game. Os dois tem responsabilidades. Trabalham. Namoram. Mudaram de cidade. Vivem na correria do mundo pós anos 2000. Todo mundo hoje vive na correria.

— Cara, quanto tempo!

— E aí, como é que ?

— Na correria!

Depois de perguntas que provavelmente você já deve saber a resposta, porque o acompanha pelo Facebook, um silêncio constrangedor paira pelo ar. Até alguém sair pela tangente com aquela ideia genial que parece reviver os dias passados.

— Temos que combinar algo, tomar umas qualquer dia!

— Claro, claro. A gente se fala!

— Falou!

E eles não marcaram nada. Provavelmente não marcarão. Talvez um curta a foto do outro no Facebook. Talvez se encontrem novamente daqui uns anos, por acaso. Talvez nesse próximo encontro algum deles tenha a ideia de marcar algo para relembrar os velhos tempos. A ideia se perderá mais uma vez em meio a correria. E continuarão nesse ciclo até o fim de suas vidas.

Vamos combinar algo?

28 anos, catarinense, escritor, empreendedor, growth hacker, guitarrista frustrado, marido da Laís. Eleito pelo LinkedIn como o terceiro brasileiro mais influente da rede em 2016.